Pão de Abóbora Cabotiá

Pão de Abóbora Cabotiá

Ingredientes:
400g de abóbora cabotiá cozida com casca e sementes (picadas)
2 xícaras (chá) de farinha de aveia
1/2 xícara (chá) de farinha de amêndoas/castanha de caju
1/2 xícara (chá) de farinha de grão de bico 
4 ovos pequenos
3 col (sopa) de azeite 
Pitada de sal marinho 
1 col (sopa) de fermento em pó 
Sementes de abóbora ou castanhas para salpicar no pão 
Modo:
No liquidificador, bata os ovos, o azeite, a abóbora com casca e sementes e o sal – reserve. Coloque todos os secos em um recipiente, misture bem. Adicione o líquido reservado e mexa somente até obter uma massa homogênea. Distribua a massa em uma forma untada com azeite e farinha de aveia. Salpique as castanhas ou sementes e leve para assar em forno médio até que faça o teste do palito e saia limpo. 
Espere esfriar totalmente, fatie e congele. Aí pode tostar na sanduicheira antes de comer.

Brigadeiro de Tâmara

Brigadeiro de Tâmara

Ingredientes:

250g de tâmaras secas sem caroço (deixe de molho em água por 4 horas, depois despreze a água)

1 colher (chá) de cacau em pó sem açúcar

Um pouco de água até dar a liga

Modo:

Misture tudo e bata com muita paciência em um mixer ou liquidificador. Precisa bater, parar, mexer com uma colher por algumas vezes. Pode deixar uma mistura cremosa ou com pedaços, mais rústico. Enrole e guarde na geladeira ou freezer.

Se preferir, pode empanar os brigadeiros em castanhas trituradas ou pistache e cacau em pó.

Probióticos

Probióticos

Já ouviu falar em probióticos???

Inúmeras bactérias estão instaladas em nosso corpo, elas se encontram em toda parte do organismo, podendo causar doenças. Mas, o que pouca gente sabe é que, dependendo da espécie e da parte do corpo em que as bactérias estão alojadas, elas podem ser benéficas e grandes aliadas à saúde. As boas bactérias são chamadas de bactérias probióticas, ou seja, microrganismos vivos e liofilizados que, quando administrados em quantidades adequadas (preferencialmente altas), atuam no sistema digestório, contribuindo para melhor qualidade de vida e saúde do indivíduo.

Por que devemos consumir probióticos?

O fato é que o ambiente intestinal da maior parte das pessoas foi alterado, esta alteração é chamada de Disbiose. A Disbiose ocorre devido a diversos fatores, como: alto consumo de alimentos industrializados (ricos em corantes, gorduras trans, farinhas e açúcar refinados, conservantes e aromas artificiais), refrigerantes, sucos industrializados, bolachas, leites pasteurizados e UHT, bem como iogurtes e queijos. Além disso, o estresse diário é um grande agressor intestinal, bem como o uso abusivo de medicamentos e baixo consumo de frutas, folhas e legumes frescos.

A Disbiose intestinal é porta de entrada para diversas doenças e difunções, dentre elas estão a dermatite de contato, lúpus, diabetes, obesidade, esteatose hepática (gordura no fígado), infertilidade, além de diversos tipos de câncer, Alzheimer, Parkinson, doença celíaca, doença de Crohn, dificuldade para ganhar massa muscular, prisão de ventre, diarreia e diversas outras. Uma vez que ocorre a Disbiose é sugerido que procure um nutricionista funcional ou médico especializado a fim de reverter esta disfunção e previnir todas as doenças citadas acima. É necessário fazer adequadas substituições dos hábitos alimentários, prática de atividade física, além do fundamental consumo regular de probióticos.

Qual a diferença de prebiótico para probiótico?

Probiótico é a “própria” bactéria e o prebiótico é o alimento destas bactérias. Por isso, é fundamental que além de consumir probiótico também consuma bons alimentos para a sobrevivência delas. Há também o simbiótico, que é um produto que une probióticos com prebióticos. Mas, é necessário ter cautela, pois se o prebiótico utilizado nesta formulação for FOS (frutooligossacarídeo) poderá ocorrer um grande estufamento dando desconfortos gástricos e intestinais a quem consome. Por isso, aconselho o consumo de probióticos manipulados onde o seu nutricionista escolherá os tipos específicos de cepas para o seu caso. Quando necessário, ele poderá utilizar também um tipo de fibra prebiótica que não gera desconforto, como a goma acácia. Procure ter boas fontes de prebióticos na sua dieta, boas opções são o alho, cebola, abacate, coco, biomassa de banana verde, batata yakon, além das frutas, legumes e folhas frescas.

Quais as funções dos probióticos?

Diversas são as funções dos probióticos, há até relatos de que futuramente as doenças ao invés de serem tratadas com medicamentos serão tratadas com probióticos adequados para cada caso. O que será ótimo pois, diferente dos medicamentos, os probióticos não possuem efeitos adversos.

A principal função dos probióticos está no seu reforço ao sistema imunológico, consequentemente eles podem previnir e contribuir com o tratamento de doenças inflamatórias e esteatose hepática (gordura no fígado), podem controlar à ansiedade, auxiliar na redução dos sintomas da TPM, são muito eficazes no tratamento de TDHA (déficit de atenção), autismo e esquizofrenia. Além disso, eles ainda aumentam a absorção dos medicamentos e suplementos, auxiliam no tratamento da depressão, colesterol e triglicérides elevados, doenças da pele, diabetes e, recentemente, pesquisadores descobriram que eles também agem contra a resistência periférica a insulina e obesidade.

Como os probióticos agem?

Os probióticos atuam aumentando a quantidade de bactérias boas no intestino, fazendo com que as ruins diminuam. Por isso, quanto mais cepas (diferentes tipos de bactérias) tiver no probiótico que irá tomar, melhor será. Isso promoverá uma competitividade grande no ambiente intestinal com maiores chances das bactérias boas permanecerem e se multiplicarem.

O intestino é tido atualmente como nosso segundo cérebro. Já é sabido que fazemos ligações diretas do intestino com o cérebro via nervo vago. Isso quer dizer que um ambiente intestinal ruim impacta diretamente nas nossas emoções, concentração, foco e toda parte cognitiva. Curiosamente há grande produção de neurônios no intestino, o que é ótimo! Mas, para que ocorra esta produção é necessário ter nutrientes suficientes na dieta, adequado ambiente intestinal e novos estímulos para o cérebro. Os novos estímulos podem ser algo como tentar escrever com a mão oposta da habitual, fazer um curso diferente, ler livros inusitados, praticar um novo esporte e por aí vai.

Quem deve tomar probiótico????

Todos deveriam consumir probióticos regularmente, crianças, adultos, gestantes e, sobretudo idosos. É um suplemento seguro que não apresenta nenhum risco a saúde, além de não fazer interação com nenhum tipo de medicamento que o paciente consuma. Inúmeros artigos científicos já comprovam isso e os profissionais da saúde atualizados prescrevem diariamente o seu uso.

Embora os probióticos sejam bactérias, eles são seguros e de livre consumo para todas as faixas etárias. A utilização em gestantes melhora a maturação das células intestinais, diminui os processos inflamatórios e melhora a tolerância alimentar no lactante sem oferecer nenhum risco, independente do quadro que apresente. Uma microbiota intestinal equilibrada oferece inúmeros benefícios, além de fortalecer o sistema imunológico, proporcionar energia ao corpo e reduzir a produção de gorduras nas células.

Como tomar probiótico?

O probiótico pode ser manipulado em sachê ou cápsulas. Os sachês serão diluidos em água e consumidos no horário prescrito. As cápsulas também serão consumidas com água no horário indicado pelo prescritor.

Referências Bibliográficas:

1 – Parth J. Parekh, et all,. The Influence of the Gut Microbiome on Obesity, Metabolic Syndrome and Gastrointestinal DiseaseClinical and Translational Gastroenterology (2015) 6, e 91; doi:10.1038/ctg.2015.16

2 – Wanga, Q. Probiotic supplement reduces risk of necrotizing enterocolitis and mortality in preterm very low-birth-weight infants: an updated meta-analysis of 20 randomized, controlled trials.(2012) Journal of Pediatric

3 – Rautava, S. Microbial contact during pregnancy, intestinal colonization and human disease. (2012) Nature Reviews Gastroent Erology & Hepatology .

4 – M. J. Friedrich. Unraveling the Influence of Gut Microbes on the Mind, JAMA. 2015;313(17):1699-1701. doi:10.1001/jama.2015.2159.

 

Guacamole

Guacamole

Ingredientes

1 abacate médio ou 2 avocados maduros e firmes

1 tomate pequeno picado

4 colheres (sopa) de cebola roxa picada

1 limão pequeno espremido

Sal marinho à gosto

Modo de Preparo

Pique o abacate grosseiramente e misture aos demais ingredientes. Sirva gelado com bolachinhas de arroz ou como salada.

Panqueca Vegana

Panqueca Vegana

Ingredientes

1 colher (sopa) de polvilho doce
2 colheres (sopa) bem cheias de amido de milho
1 colher (sobremesa) cheia de azeite
1 colher (café) de fermento em pó
5 colheres (sopa) de água
Pitada de cúrcuma em pó (opcional)
Pitada de sal marinho ou mel

Modo de Preparo
Misture tudo muito bem e espalhe uma fina camada em uma frigideira antiaderente aquecida. Quando dourar um lado vire o outro. Recheie a gosto.

Pão de Batata Doce de Frigideira

Pão de Batata Doce de Frigideira

Ingredientes

1 rodela de batata doce cozida e amassada

1 ovo

2 colheres (sopa) de água

1 colher (sopa) cheia de aveia (ou amaranto ou quinoa em flocos triturados)

1 colher sopa cheia de farinha de farinha de arroz integral (ou polvilho doce)

1 colher (sopa) cheia de fécula de batata (ou farinha de grão de bico ou polvilho azedo)

Sal marinho a gosto

1/2 colher (chá) de fermento para bolo

Modo de Preparo

Bata o ovo com fouet ou garfo. Acrescente a batata doce e a água e mexa até ficar homogêneo. Coloque os demais ingredientes e misture um pouco mais até adquirir consistência cremosa. Despeje a mistura em frigideira antiaderente preaquecida em fogo muuito baixo (untada levemente com óleo de coco) e tampe. Quando soltar do fundo da panela, vire para dourar o outro lado. Sirva quentinho ou frio com ricota vegana de castanhas ou com azeite/óleo de coco. O meu ficou mais tostadinho, gosto assim! 😉

Iogurte de Coco Vegano

Iogurte de Coco Vegano

Ingredientes

3 xícaras de leite de coco caseiro

3 colheres (chá) de agar agar em pó

1/2 limão espremido

Melado ou mel para adoçar (opcional)

Modo de Preparo

Em uma panela coloque o leite de coco e o agar agar, misture com uma colher de bambu ou pau e mexa até ferver. Após levantar fervura conte 2 minutos e desligue. Coloque esta mistura em um recipiente de vidro e leve a geladeira por aproximadamente 1 hora. Após isso, retire da geladeira, corte em pedaços e coloque no liquidificador com 1 colher (sopa) de melado, o limão espremido e cerca de 50ml de leite de coco. Bata e ajuste a consistência com mais um pouco de leite de coco se preferir. Guarde na geladeira e consuma em até 3 dias. Pode bater com frutas, amo bater com kiwi ou banana congelada!